Política
Uvebs entrega reivindicações ao secretário de Saúde do Estado

Colegiado marcou presença na Reunião “Gabinete Itinerante Baixada Santista”, organizado pelo Condesb

A União dos Vereadores da Baixada Santista (Uvebs) entregou em mãos ao secretário de Saúde do Estado, José Henrique Germann Ferreira, um documento com as principais reivindicações do setor, na manhã desta quinta-feira, dia 18, durante reunião do “Gabinete Itinerante Baixada Santista”, promovida pelo Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Condesb), em Praia Grande.
Denominado raio-x da saúde, o documento traz levantamentos e dados estatísticos colhidos junto às secretarias municipais de cada uma das nove cidades da Baixada Santista e também a opinião dos membros da diretoria da Uvebs, de acordo com as experiências que vivem junto à população. “O vereador é o ente mais próximo da comunidade, portanto esta opinião é fundamental, pois reflete de maneira mais fiel os anseios reais da população que precisa do sistema e procura o vereador em busca de soluções”, ressalta o presidente da Uvebs, Roberto Andrade e Silva, o Betinho.

Para o colegiado, o tema principal hoje é enfrentar o problema da falta de transparência na Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross), que é o que regula as vagas em UTIs e leitos nos hospitais públicos que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS) na Região.

Segundo os parlamentares, não há informações sobre a maneira como o Estado faz a distribuição das vagas dos leitos hospitalares atualmente. Além disso, a espera é cada vez maior, chegando a cerca de 72 horas para se ter uma resposta sobre a possibilidade da concessão da vaga. “Sabemos da demanda dos municípios, mas não entendemos quais são os critérios de prioridades para que as vagas sejam ofertadas aos pacientes que necessitam de tratamento”, ressalta Betinho.

A Uvebs defende a descentralização do Cross, possibilitando a busca por vagas fora da Baixada Santista, pois além do déficit de leitos na Região, há hospitais, como a Santa Casa de Santos, que não ofertam vagas em sua totalidade ao sistema.

De acordo com dados levantados pela Uvebs junto à Secretaria de Saúde do Estado, o Hospital Irmã Dulce (HID), em Praia Grande, é responsável por 25,33% dos atendimentos no sistema Cross. No HID, o Estado tem 76 leitos contratados para urgência e emergência; já a Santa Casa de Santos que totaliza 395 leitos, atende o sistema Cross com pouco mais de 4,4%.

Também disponibilizam leitos, o Hospital Regional de Itanhaém (167 leitos), que é responsável por 20,76% das vagas Cross concedidas e o Hospital Guilherme Álvaro, em Santos (248 leitos), responsável por 20,13% dos atendimentos.

Para Betinho, mesmo que haja ampliação no atendimento, com a totalidade dos leitos da Santa Casa de Santos operando no sistema Cross, convém considerar a descentralização. “Há falta de vagas, mesmo se considerarmos leitos entre Baixada Santista e Vale do Ribeira. Além disso, entre Bertioga e Registro são mais de 200 quilômetros de distância. Se considerarmos este fator, a Capital ou a região do ABC são mais próximas e ainda têm oferta maior. Por isso, as vagas precisam ser buscadas também na Capital e no ABC”.

 

Ecovias

ecovias