Ministério da Saúde lança campanha para conscientizar sobre ISTs

Público-alvo da campanha serão pessoas de 15 a 29 anos, faixa que segundo o MS tem usado menos o preservativo

 

Atualmente mais de 1 milhão de pessoas contraem infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) todos os dias, segundo dados divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Pensando em prevenir e conscientizar a população sobre as consequências das doenças que o sexo sem prevenção podem causar, o Ministério da Saúde (MS) lançou uma campanha para reforçar o uso do preservativo.

Com o slogan Sem camisinha você assume o risco, a ação foi divulgada em entrevista coletiva concedida pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, na quinta-feira 31, e a campanha já iniciou pelo País na sexta-feira, dia 1º de novembro, tendo como público-alvo pessoas entre 15 e 29 anos, com a intenção de conscientizá-los sobre a importância do sexo seguro.

As principais doenças que serão abordadas são: herpes genital, sífilis, gonorreia, HIV, HPV, hepatites virais B e C, cancro mole e clamídia. Além disso, também serão informados os sintomas de acordo com cada caso como, por exemplo, feridas, corrimentos e verrugas anogenitais, bem como orientações de como proceder em caso do aparecimento de algum sintoma.

As informações serão passadas nos veículos de comunicação. Pela televisão e internet as questões serão trabalhadas por meio de filmes, que mostram depoimentos e a reação das pessoas ao verem fotos dos sintomas de algumas das ISTs. A ideia é que instigue a curiosidade dos jovens para pesquisarem as doenças e fazer com que conheçam os sintomas, já que o diagnóstico precoce é fundamental para o tratamento.

Conforme o ministro Luiz Henrique Mandetta, o objetivo é fazer com que a população fique com receio de não usar a camisinha. “Se perguntarmos sobre a importância, todos dizem que é importante, que previne doenças, HIV, sífilis, entre outros, mas não usam. Notamos que, entre o conhecimento e a ação existe uma lacuna, então, o desafio foi como fazer a informação se tornar um hábito e o que faremos é abordar a consequência do não uso do preservativo”, destacou.

SOBRE – As ISTs são causadas por mais de 30 vírus e bactérias transmitidas, principalmente, por meio do contato sexual sem o uso de camisinha, com uma pessoa que esteja infectada. Pode acontecer também da mãe para a criança durante a gestação, parto ou amamentação. O atendimento e o tratamento são ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), melhorando a qualidade de vida e interrompe a cadeia de transmissão.

Algumas das doenças como sífilis, gonorreia e clamídia, podem causar morte, malformações de feto, aborto, entre outros, já que a IST têm impacto direto na saúde reprodutiva e infantil.

04/11/2019

Foto: Divulgação/MS

 

 

Ecovias

ecovias