Dos livros aos palcos, peça Sonha Zé estreia no PdA

Espetáculo infantil gratuito transmite mensagem positiva para o público e acontece na terça-feira, dia 29, às 20h

 

Existem mensagens que são transmitidas de forma simples, mas que geram grande impacto na vida das pessoas. Essa é a intenção do espetáculo infantil Sonha Zé, que estreia terça-feira, dia 29, às 20h, no Palácio das Artes (PdA). A peça tem classificação livre, com entrada gratuita. A retirada dos ingressos será uma hora antes da apresentação, na bilheteria do PdA.

Em uma adaptação do livro infantil com o mesmo nome, Sonha Zé, da autora Silvia Camossa, a história mostra como um simples gesto de solidariedade pode provocar uma grande transformação. O enredo é baseado na amizade de dois personagens: Pedro, que vai à escola pela manhã e trabalha como engraxate à tarde; e Zé Jornal, homem em situação de rua que vive na praça onde Pedro trabalha. Embora não tenha família, não saiba ler ou escrever, coleciona jornais, vive com entusiasmo e nunca perdeu a capacidade de sonhar.

De acordo com o diretor Andress Correa, da Cazuá Companhia de Teatro, de Mongaguá, mesmo com a classificação indicativa, o teatro dialoga com todas as faixas etárias. “Até porque a mensagem que fica é muito pessoal, o adulto poderá fazer uma menção a algum fato que aconteceu e a criança verá de forma lúdica, poética e reflexiva o encontro com a humanidade, a solidariedade e as relações”, explica.

A peça também tem a orientação de Murilo Andrade, produção de Juliana Bartié, assistência de Ingrid Polzer e músicas de Bruno Conde. Com Tallyta Félix, Nathan Ribeiro, Jordian Forman e Tahina Oliveira.

PROCESSO - A ideia de montar o espetáculo surgiu depois de Correa ler o livro. “Quando li, vi que ali era possível fazer uma peça e foi então que entrei em contato com a autora e ela liberou. A pedido da escritora, mantivemos a estrutura dramatúrgica, mas inevitavelmente foi preciso criar alguns personagens e ações para que levassem a algum momento do livro.”

Todo o elenco é originário de oficinas de interpretação ministradas de forma independente por Correa e foi realizada após ser selecionada pelo Programa de Qualificação em Artes da Poiesis, em parceria com as oficinas culturais da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado.

Esta não é a primeira vez que a Companhia estará em Praia Grande, pois já se apresentaram com outra peça na Mostra Caiçara e Mostra de Teatro. Daqui para frente a intenção é que seja apresentada em outros locais. “Como a estreia acontece na terça-feira ainda estamos em tratativa comercial, mas já fizemos contato com os teatros de Santos, São Vicente e tivemos convite do grupo Caixa Preta, do Vale do Ribeira”, conclui o diretor.

28/10/2019

Texto: Larissa França

Foto: Divulgação

 

 

 

Ecovias

ecovias