Pular café da manhã pode gerar obesidade em jovens

Nutricionista orienta que o ideal de refeição no café da manhã são itens equilibrados, com uma junção de nutrientes para suprir as horas sem alimentação

De acordo com estudo realizado por pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) e também da Europa publicado na Scientific Reports, pular o café da manhã pode influenciar no ganho de peso entre crianças e adolescentes.

O levantamento aponta que ignorar a primeira refeição do dia está atrelada ao desenvolvimento da obesidade e tem relação direta com o aumento da circunferência abdominal e do índice de massa corporal (IMC) entre os jovens.

Para a nutricionista Amanda Prates é essencial que o café da manhã seja realizado. “O jejum prolongado favorece o acúmulo de gordura abdominal devido ao excesso de liberação do hormônio cortisol, então se essas crianças nunca fizerem essa refeição, isso ajudará no aumento da circunferência abdominal e no ganho de peso. No entanto fatores genéticos também podem colaborar com esse processo”, explica.

A especialista detalha as consequências causadas ao organismo. “Além da obesidade citada pela pesquisa, o jovem poderá ter hipoglicemia devido à baixa ingestão alimentar e a necessidade energética durante a manhã. Entre os sintomas há dor de cabeça, tonturas e enjôos. Sem contar que o jejum não é benéfico em qualquer faixa etária. O cortisol cresce o risco de elevação da pressão arterial, cansaço, dificuldade de memória, entre outros.”

A recomendação é que ao acordar devemos nos alimentar com itens de qualidade. “Se a pessoa janta às 20h e acorda às 7h houve um período de 11 horas sem comer. Algumas pessoas relatam falta de fome ao acordar, então oriento primeiro tomar banho e deixar o café da manhã para mais próximo do horário de sair de casa. Todo consumo alimentar deve ser equilibrado e evitar acumular somente em uma refeição.”

Amanda diz que atualmente existem estratégias nutricionais que utilizam o jejum como forma de controlar o ganho de peso, no entanto esse protocolo não deve ser aplicado sempre. “Para isso a pessoa deverá procurar um profissional habilitado para orientação adequada”, comenta.

 Para a primeira refeição do dia é aconselhado produtos que equilibram todos os grupos alimentares como leite com café ou chocolate, suco de fruta (maracujá ou caju ou melão) junto de pão integral com manteiga e ovos mexidos.


OBESIDADE – Segundo a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), divulgada pelo Ministério da Saúde no último dia 24, a taxa de obesidade no País passou de 11,8% para 19,8%, entre 2006 e 2018.

O excesso de peso é observado entre pessoas de 55 e 64 anos e com menos escolaridade. No mesmo período, houve alta do índice de obesidade nas faixas etárias de 25 a 34 anos e de 35 a 44 anos, onde o indicador subiu, respectivamente, 84,2% e 81,1% ante 67,8% de aumento na população em geral.

O Ministério destacou que, no ano passado, ocorreu uma inversão quanto ao gênero. Diferentemente do padrão verificado até então, identificou-se um nível maior de obesidade entre as mulheres. A percentagem foi de 20,7% contra 18,7% dos homens.

12/08/2019

Texto: Larissa França

Foto: Divulgação/iStock

 

 

Ecovias

ecovias