Casais que se apaixonaram na escola relembram história

ROT Casais

Nesta quarta-feira, dia 12 de junho, é comemorado o Dia dos Namorados em todo o Brasil, por isso entrevistamos casais que se conheceram ou namoram desde a época da escola

Alguns casais se conhecem ainda jovens e passam por todas as fases da vida juntos. Outros apenas vivem etapas juntos, seja enquanto jovens, adultos ou na melhor da idade. Não existem regras para namorar e amar. Os relacionamentos apenas mudam a cada etapa da vida. Nesta quarta-feira, dia 12 de junho, é comemorado o Dia dos Namorados em todo o Brasil.

Por isso entrevistamos casais que se conheceram ou namoram desde a época da escola. Afinal, o colégio é cheio de muitas histórias inesquecíveis, de amor e de amizade, que levamos para a vida inteira. Foi assim que aconteceu com Antônio Silva Cruz Filho, de 50 anos, e Ariza Chagas Cruz, de 51 anos, que deram o primeiro beijo no dia 14 de março de 86, no ensino médio, e estão juntos há 33 anos.

Apesar de terem se conhecido no trabalho, o casal começou a namorar na escola. “Na primeira vez que nos encontramos foi antipatia de ambos. Mas depois de um tempo, nos tornamos amigos. Logo após, fomos aumentando com a convivência em jornada dupla, no trabalho e na escola, e não nos desgrudamos mais”, conta Antônio.

Há 29 anos casados e com duas filhas, Ananda Cruz, de 21 anos, e Aline Cruz, de 27 anos, o casal sempre planejou a vida intensamente e curtiu o máximo possível. Ele ainda conta que para manter uma relação duradoura existem muitas dificuldades, mas a diferença está em como enfrentá-las em conjunto.

“Deve haver muita cumplicidade, muito respeito, muita doação, muito amor e principalmente Deus. Além de tudo isso, acho que o amor, não vou dizer verdadeiro, porque para mim, se é amor mesmo, sempre será verdadeiro, vence muitas coisas. Sendo fiel ao juramento perante Deus e acreditando que o que Deus uniu o homem não separe”, finaliza.

A época do ensino médio é realmente cheia de incertezas e inseguranças. Você começa a se preocupar com o futuro profissional e ao mesmo tempo quer se entregar a um romance. Um exemplo disso é Fernanda Rodrigues dos Santos, de 22, e Caio de Souza Lopes, de 23 anos, que precisaram de um empurrãozinho do destino para perceberem que eram mais que bons amigos.

“Nos conhecemos na escola, mas apenas no último ano que nos colocaram na mesma sala. Tínhamos o mesmo grupo de amigos, desenvolvemos uma amizade bem forte. No final percebemos que era amor e acabamos juntos. Já são cinco anos e oito meses e pretendemos passar o resto da vida juntos, porém não há nada planejado para o futuro. Estamos tentando realizar nossos sonhos, quero fazer Medicina e ele de fazer cursos fora do País”.

Para manter um relacionamento saudável por tanto tempo, Fernanda acredita que é preciso de confiança em primeiro lugar. “Também é preciso ter amizade, respeito e aprender a relevar algumas coisas, pois ambos são diferentes e tiveram criações diferentes. O mais difícil para nós é aceitar e amar o defeito do outro, além da rotina que acaba criando, porque depois de tanto anos, acabamos fazendo as mesmas coisas e isso pode esfriar a relação.”

Manter uma relação harmoniosa e duradoura pode ser uma fonte de felicidade. Quem defende essa ideia é Nyomi Graef mestre em promoção de saúde pela Curtin University, na Austrália. Segundo a especialista, ter um relacionamento que dure é uma das maiores alegrias e desejos na vida. “Como qual-quer realização, há coisas que podem ajudar e outras que podem dificultar o sucesso do relacionamento”.

12/06/2019

Texto: Danielle Martins

Foto: Arquivo Pessoal

 

Ecovias

ecovias