João Chianca comanda o show nas decisões do Héroes de Mayo Iquique Pro no Chile

 O surfista de Saquarema bateu todos os recordes da semana na final do QS 3000, a espanhola Nadia Erostarbe ganhou o QS 1500 e no Pro Junior os campeões foram o catarinense Leo Casal e a havaiana Gabriela Bryan

O Héroes de Mayo Iquique Pro foi encerrado com chave de ouro, com o saquaremense João Chianca batendo todos os recordes da semana de altas ondas em La Punta, na bateria que fechou o domingo de praia cheia em Iquique, no Chile. Ele tirou a maior nota – 9,57 – e fez o maior placar – 17,74 pontos de 20 possíveis – na final do QS 3000 contra o australiano Dean Bowen. Com a vitória, João faturou o prêmio máximo de 15.000 dólares em Iquique e assumiu a liderança no ranking sul-americano da WSL South America, assim como Leo Casal na categoria Pro Junior, ao ganhar a final catarinense com Lucas Vicente. Os outros títulos foram conquistados pela espanhola Nadia Erostarbe no QS 1500 e pela havaiana Gabriela Bryan na decisão Pro Junior com a peruana Daniela Rosas, que lidera o sul-americano profissional. 

“Foi incrível vencer aqui e não tenho nem palavras para descrever o que estou sentindo nesse momento. É a minha primeira vitória no QS, estou muito feliz e quero comemorar muito esse título”, disse João Chianca. “Meu amigo já tinha me falado para não ser ansioso, que era para eu ser inteligente pra esperar as melhores ondas, porque minhas pranchas estão boas, meu surfe também e que era pra me divertir, então foi o que tentei fazer. Eu conversei com meu pai também e ele me disse pra garantir primeiro uma boa pontuação, antes de tentar fazer aéreos e eu acertei um ali muito bom, porque estava confiante pra fazer qualquer coisa”.
O surfista de Saquarema, cidade que sedia a etapa brasileira do World Surf League Championship Tour no Brasil, assumiu a liderança no ranking sul-americano da WSL South America com a vitória no Héroes de Mayo Iquique Pro. Além disso, saltou da 149.a para a 37.a posição no WSL Qualifying Series com os 3.000 pontos recebidos no Chile. É um resultado para entrar na briga direta pelas dez vagas para a elite dos top-34 que disputa o título mundial no CT.
“Era um sonho distante liderar o ranking sul-americano”, confessou João Chianca. “A gente fica tão longe disso, com a cabeça nos eventos mais importantes do QS, no CT, com tanta coisa acontecendo, então liderar o ranking sul-americano está sendo um bônus pra mim. Estou amarradão também por entrar na briga pelas vagas do QS e quero manter essa pegada nos próximos eventos. Se Deus quiser uma classificação para o CT será fantástico, mas sei que tem muito a trabalhar ainda para isso e o melhor é manter os pés no chão, sem sonhar muito”.
João Chianca praticamente liquidou o australiano Dean Bowen nas duas primeiras ondas que surfou na bateria final, com seu surfe progressivo de manobras modernas atacando os pontos mais críticos das direitas de La Punta. Ele praticamente não errou nada e conseguiu nota 8,17 logo em sua segunda onda. Depois, começou a arriscar os aéreos e completou um na finalização de uma onda que já vinha destruindo desde o início com batidas verticais e grandes manobras. Um dos cinco juízes chegou a dar nota 10 para ele e a média ficou em 9,57, a maior entre todas as ondas surfadas pelos mais de 230 participantes das quatro competições disputadas nesta semana em Iquique. Essa nota selou a vitória por 17,74 a 13,27 pontos.

FINAL DO QS 1500 – Na etapa feminina do WSL Qualifying Series, nenhuma sul-americana se classificou para o domingo decisivo do Héroes de Mayo Iquique Pro. A espanhola Nadia Erostarbe, do País Basco, tinha acabado com a invencibilidade da melhor surfista desta semana em La Punta nas semifinais, a havaiana Gabriela Bryan. Depois, não deu chances também para a recordista absoluta de nota e pontos entre as meninas, a norte-americana Meah Collins, conquistando o título do QS 1500 de Iquique no Chile por 11,43 a 8,97 pontos.
“Estou muito feliz neste momento. Foi um campeonato incrível e não poderia ter terminado melhor pra mim”, disse Nadia Erostarbe. “É muito difícil ganhar um evento, então vencer dois esse é fantástico (o outro foi o QS 1500 de Senegal, na África). Eu estava muito nervosa antes da final. Na verdade, eu fiquei nervosa em todas as baterias (risos). Mas, chegou no ponto que pensei, peraí, você sabe o que está fazendo, então vai lá e surfa. Na final, deu tudo certo pra mim e estou muito feliz por vencer esse evento nesse lugar incrível, com altas ondas”.
FINAIS PRO JUNIOR – A primeira decisão de título a entrar no mar no domingo foi a do Pro Junior feminino e a havaiana Gabriela Ryan largou na frente com nota 4,67. A peruana Daniela Rosas poderia dividir a liderança do ranking sul-americano Pro Junior com a vitória no Héroes de Mayo Iquique Pro, mas não foi bem na primeira onda e a segunda só rendeu 2,53 pontos. Por outro lado, a havaiana atacou forte uma direita mais espumada que valeu 4,73.
Mesmo com a prioridade de pegar a próxima onda, Daniela deixa passar uma pra Gabriela, que já manda um batidão vertical para ganhar 5.47. A peruana passa a precisar de 6,43 pontos e entra numa onda que abre até a beira, porém só recebe 3,90 para diminuir a vantagem para 6,30. Depois, o máximo que Daniela conseguiu foi 4,20 e a havaiana Gabriela Bryan festejou o título em sua primeira vez competindo na América do Sul, por 10,20 a 8,10 pontos.
“Estou muito feliz, porque eu queria ganhar pelo menos um dos dois eventos e consegui o título no Pro Junior, então cumpri meu objetivo nesta minha primeira viagem para a América do Sul”, disse Gabriela Bryan. “Eu perdi nas semifinais do QS, mas não fiquei abalada, porque sempre procuro aprender com os meus erros. Agora, estou muito feliz, pois queria sentir essa sensação incrível da vitória, então saio daqui satisfeita desse lugar lindo e com altas ondas como na minha casa, no Havaí. Espero voltar para cá mais vezes”.

DECISÃO MASCULINA – A final Pro Junior masculina valia o primeiro lugar no ranking sul-americano Pro Junior, no confronto caseiro entre dois catarinenses de Florianópolis. Lucas Vicente poderia conseguir um feito inédito de liderar os dois rankings da WSL South America com a vitória no Chile. Ele começou na frente, mas a briga foi intensa, onda a onda, com Leo Casal mostrando a potência do seu backside no pointbreak de direitas de La Punta, para tomar a ponta com nota 4,50. Lucas também surfava de costas para as ondas no Chile e deu o troco com 4,17. A batalha entre os dois amigos prosseguiu até o fim da bateria.
Lucas voltou a liderar com essa segunda onda, mas Leo Casal ia acertando todas as manobras em outra boa direita e até vibrou quando finalizou muito bem, mais uma boa onda que valeu 6,17. Lucas respondeu com 5,33 na onda de trás e os dois voltaram a se posicionar lado a lado no outside, agora com Leo Casal na frente quando soou o sinal dos 5 minutos finais. Eles surfaram duas ondas seguidas novamente e a nota do Leo foi 6,03, contra 5,03 do Lucas. Foram as últimas boas e Leo Casal comemorou sua primeira vitória por 12,20 a 10,36.
“Eu cresci junto com o Lucas (Vicente) e para mim ele é um dos melhores surfistas, sempre treinei olhando para ele como um ídolo, seguindo os passos dele e só em estar com ele na final já foi um grande momento na minha carreira”, disse Leo Casal. “Sair com a vitória numa bateria tão disputada assim com ele, foi muito emocionante e estou muito feliz. Um dos meus focos esse ano é conquistar uma vaga pro Mundial Pro Junior da WSL e agora é ir para as próximas etapas confiante para conseguir outros bons resultados para isso”.
O jovem surfista de apenas 14 anos de idade tirou a liderança do ranking sul-americano do paulista Daniel Adisaka, mas vai competir nos tubos perigosos de El Gringo em Arica, onde nesta terça-feira começa outra etapa do QS 3000 no norte do Chile, ao invéis de ir para o Ceará disputar o Pena Little Monster, válido pelo Circuito Sul-americano Pro Junior, que acontece na mesma semana no Ceará.
“Pena que os dois eventos vão rolar na mesma semana, mas eu vou para Arica, porque eu gosto bastante de surfar tubos pra esquerda como é em El Gringo, então decidi ir pra lá porque já estou aqui no Chile”, continuou Leo Casal. “Ainda teremos várias etapas do Pro Junior ao longo do ano e certamente vou correr as próximas para tentar conseguir esse título sul-americano, mas principalmente a classificação para o Mundial Pro Junior, que é meu grande objetivo para este ano”.

PRÓXIMAS ETAPAS – A segunda edição do Héroes de Mayo Iquique Pro foi um grande sucesso, com mais de 230 inscritos de 20 países competindo em ótimas ondas em La Punta durante toda a semana em Iquique. Agora, os mais corajosos partem para a etapa mais desafiadora do WSL Qualifying Series nos tubos de El Gringo, onde na terça-feira começa o já tradicional Maui and Sons Arica Pro Tour QS 3000, também no norte no Chile. Já os surfistas com até 18 anos de idade, terão outra etapa do Pro Junior a partir de sexta-feira da semana que vem, com o Pena Little Monster estreando no calendário sul-americano da WSL South America, nas ondas da Praia da Taíba, em São Gonçalo do Amarante, no Ceará.
Mais informações, notícias, fotos, vídeos e todos os resultados do Héroes de Mayo Iquique Pro podem ser acessadas nas páginas do evento clicando em “Events” no www.worldsurfleague.com e nos calendários de cada competição, WSL Qualifying Series masculino e feminino e Pro Junior masculino e feminino.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE - A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.
A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.
Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensesn, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.
Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

RESULTADOS DO DOMINGO NO HÉROES DE MAYO IQUIQUE PRO:
DECISÃO DO TÍTULO DO QS 3000 MASCULINO:
Campeão: João Chianca (BRA) por 17,74 pontos (9,57+8,17) – 3.000 pontos no QS e 1.000 no Sul-americano
Vice-campeão: Dean Bowen (AUS) com 13,27 pontos (6,90+6,37) – 2.250 pontos no QS
SEMIFINAIS – 3.o lugar com 1.680 pontos no QS e 560 no Sul-americano:
1.a: João Chianca (BRA) 13.83 x 7.77 Joaquin del Castillo (PER)
2.a: Dean Bowen (AUS) 14.33 x 13.50 Matthew McGillivray (AFR)
QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 1.260 pontos no QS e 420 no Sul-americano:
1.a: João Chianca (BRA) 8.03 x 7.96 Billy Stairmand (NZL)
2.a: Joaquin del Castillo (PER) 14.87 x 13.87 Jack Robinson (AUS)
3.a: Matthew McGillivray (AFR) 10.03 x 9.04 Ian Gentil (HAV)
4.a: Dean Bowen (AUS) 10.37 x 8.54 Miguel Tudela (PER)

DECISÃO DO TÍTULO DO QS 1500 FEMININO:
Campeã: Nadia Erostarbe (ESP) por 11,43 pontos (6,83+4,60) – 1.500 pontos no QS
Vice-campeã: Meah Collins (EUA) com 8,97 pontos (4,50+4,47) – 1.125 pontos no QS
SEMIFINAIS – 3.o lugar com 840 pontos no QS e 560 no Sul-americano:
1.a: Nadia Erostarbe (ESP) 10.67 x 7.67 Gabriela Bryan (HAV)
2.a: Meah Collins (EUA) 6.73 x 6.33 Julie Nishimoto (JPN)

DECISÃO DO TÍTULO PRO JUNIOR MASCULINO:
Campeão: Leo Casal por 12,20 pontos (6,17+6,03) – 1.000 pontos no Sul-americano
Vice-campeão: Lucas Vicente (BRA) com 10,36 pontos (5,33+5,03) – 750 no Sul-americano

DECISÃO DO TÍTULO PRO JUNIOR FEMININO:
Campeã: Gabriela Bryan (HAV) por 10,20 pontos (5,47+4,73) – não pontua no Sul-americano
Vice-campeã: Daniela Rosas (PER) com 8,10 pontos (4,20+3,90) – 750 pontos no Sul-americano
TOP-10 DO RANKING SUL-AMERICANO DA WSL SOUTH AMERICA – 4 etapas:
01: João Chianca (BRA) – 1.265 pontos
02: Lucas Vicente (BRA) – 1.255
03: Matheus Navarro (BRA) – 1.055
04: Jadson André (BRA) – 1.000
05: Samuel Pupo (BRA) – 780
05: Igor Moraes (BRA) – 780
07: Yago Dora (BRA) – 750
08: Marcos Correa (BRA) – 745
09: Ian Gouveia (BRA) – 740
09: Leandro Usuna (ARG) – 740

TOP-10 DO RANKING SUL-AMERICANO FEMININO – 2 etapas:
01: Daniela Rosas (PER) – 1.280 pontos
02: Lorena Fica (CHL) – 950
03: Dominic Barona (ECU) – 860
04: Tainá Hinckel (BRA) – 840
05: Lucia Indurain (ARG) – 720
06: Jessica Anderson (CHL) – 580
07: Julia Duarte (BRA) – 480
08: Josefina Ané (ARG) – 465
08: Lucia Cosoleto (ARG) – 465
10: Monik Santos (BRA) – 420
10: Camila Cassia (BRA) – 420
10: Karol Ribeiro (BRA) – 420

TOP-10 DO SUL-AMERICANO PRO JUNIOR MASCULINO – 2 etapas:
01: Leo Casal (BRA) – 1.200 pontos
02: Daniel Adisaka (BRA) – 1.145
03: Daniel Templar (BRA) – 1.120
04: Lucas Vicente (BRA) – 1.030
05: Mateus Herdy (BRA) – 1.000
06: Raul Rios (PER) – 760
07: Fernando Junior (BRA) – 605
08: Eduardo Motta (BRA) – 600
09: Luan Hanada (BRA) – 595
10: Leonardo Barcelos (BRA) – 580

TOP-10 DO SUL-AMERICANO PRO JUNIOR FEMININO – 2 etapas:
01: Tainá Hinckel (BRA) – 1.560 pontos
02: Sol Aguirre (PER) – 1.310
02: Daniela Rosas (PER) – 1.310
04: Isabela Saldanha (BRA) – 790
05: Coco Cianciarulo (ARG) – 720
05: Lara Barrios (PER) – 720
07: Julia Duarte (BRA) – 700
08: Alessia Moro (PER) – 600
09: Julia Camargo (BRA) – 560
09: Bruna Carderelli (BRA) – 560

 

Ecovias

ecovias