Baixada tem queda de 57% no número de mortes em relação ao ano passado

Colisões, atropelamentos e choques contra objetos são as ocorrências mais comuns

O número de vítimas fatais em acidentes de trânsito na Baixada Santista teve queda de 57%, levando-se em conta a comparação de junho com o mesmo mês do ano anterior. Foram 37 óbtos no ano passado. São Vicente teve queda de 67% (de 6 para 2); Guarujá de 75% (de 4 para 1) e Santos, uma alta pequena (de 4 para 5). A pesquisa foi realizada pelo programa do Governo do Estado de São Paulo, Balanço do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito.

A maior parte dos acidentes fatais de trânsito no Estado acontece nos períodos da noite e madrugada. Colisões e atropelamentos são as ocorrências mais comuns. Segundo os dados registrados pelo Infosiga SP, no primeiro semestre deste ano 1.480 pessoas foram vítimas de acidentes de trânsito, entre 18h e 06h, o que equivale a 53,8% do total (2.753). Colisões entre veículos correspondem a 38,1% dos acidentes, enquanto os atropelamentos somam 31,6%. Choque contra objetos fixos equivalem a 13,8% dos casos e outros tipos de acidente somam 16,5%.

“Comportamentos de risco, como beber e dirigir e excesso de velocidade são acentuados nesse período. A menor iluminação dificulta a visibilidade, por isso é importante que condutores e pedestres redobrem a atenção à noite”, explica a coordenadora do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, Silvia Lisboa.

O Infosiga SP traz também estatísticas sobre acidentes e óbtibos no primeiro semestre. Foram registradas 2.753 fatalidades em todo Estado, redução de 3,8% e 108 vítimas a menos na comparação com ano passado (2.861). Em junho, foram 487 vítimas fatais, aumento de 5,2%. No mesmo período do ano passado, foram 463 vítimas fatais.

Já para os acidentes com vítimas, que incluem também ocorrências sem fatalidades, houve redução de 5,2% no semestre, com 4.934 casos a menos (89.273 em 2017 e 94.207 em 2016). Em junho foram 15.897 ocorrências, com redução de 1%.

Crédito: Divulgação

Danielle Martins

 

 

Ecovias

ecovias