Remando “em casa”, equipe TriboQPira busca novo título na 16ª Volta à Ilha de Santo Amaro de Canoa Havaiana

LARGADA SERÁ SÁBADO, 8H, NA PRAIA DA APARECIDA, EM SANTOS

Maior campeã do evento e com a vantagem de competir “em casa”, a equipe TriboQPira busca novo título na 16ª Volta à Ilha de Santo Amaro de Canoa Havaiana, que será disputada neste sábado (30), com largada e chegada em Santos. Desta vez, o grupo rema com uma seleção de nomes de ponta da modalidade, vindo de outros times, acumulando muita experiência e títulos na mesma canoa.

A expectativa é colocar uma equipe local no lugar mais alto do pódio. A última vitória nesse desafio foi 2016. O time também teve uma fase imbatível, entre 2006 e 2010. Já no ano passado, depois de dois vices seguidos, o time foi o terceiro colocado. “Nossa principal meta é mostrar a força da canoa havaiana em Santos. Queremos ter novamente uma equipe da Cidade no topo do esporte. Treinamos para disputar um lugar no pódio e sabemos que isso não será uma tarefa fácil, mas estamos preparados para uma disputa muito dura”, afirma o capitão da equipe, Rogério Mendes.

A TriboQPira chega preparada, mas sem revelar a estratégia que será adotada durante a dura prova, que conta com 75 km ininterruptos de remadas, com trechos de mar, em toda a costa de Guarujá, depois no Canal de Bertioga e no Porto de Santos, com largada e chegada na Praia da Aparecida, em Santos. São nove atletas, seis remando e três no revezamento. As trocas de remadores durante a embarcação em movimento foi um dos pontos mais treinados para que o time mantenha o ritmo forte do início ao fim.

“Montamos um time muito equilibrado, reunindo os atletas que mais se destacaram em 2018 e alguns jovens remadores que foram revelados nas bases de canoa da Cidade. Nosso diferencial é o espírito de sacrifício. Nossos treinos são realizados durante o amanhecer, faça chuva ou faça sol, e chegamos até aqui unidos, coesos e muito mais fortes que em 2018”, reforça Rogério, atual campeão brasileiro e que, recentemente, venceu o Desafio Salvador - Morro de São Paulo, com 60 km de mar aberto.

Para ele, as particularidades do percurso são a maior dificuldade para garantir uma boa performance. “Numa prova com tantas variantes, o mais difícil é encontrar um ritmo confortável para não haver nenhuma quebra, ou seja, para que todos consigam suportar as dores e a fadiga nos últimos 20 km de prova. Para isso, é importante prestar muita atenção na alimentação e na hidratação durante as primeiras horas da disputa”, fala.

Além de Rogério Mendes, a tradicional equipe de Santos conta com a experiência do Felipe Neumman, da Poseidon, um colecionador de títulos na modalidade; Cauê Serra, da Hoe Mana, um dos melhores lemes do país; Marinho Cavaco, da CPT, destaque do SUP e da canoa; e ainda Jeferson Libório, da Santa Cruz Canoagem, que possui larga vivência no universo da canoagem.

Henrique Barta, Pedro e Caio Guerra, todos da Poseidon, são os jovens talentos que representam a renovação e o sangue novo da equipe, que também conta com Crisvaldo Barbosa, da Lino e Ratzka, atleta que possui uma larga experiência em provas de SUP e canoa. “Treinamos para encontrar um ritmo ideal para a prova e fizemos os treinos de troca, que são muito importantes para a canoa ser mantida sempre em movimento durante o revezamento dos atletas”, revela o capitão. “O entrosamento veio de forma natural e como todos possuem o mesmo objetivo, tudo fluiu de modo fácil”, argumenta.

Apesar de não revelar as estratégias que serão adotadas durante a prova, Rogério acaba revelando um dos “segredos” da equipe, mas que estará fora das remadas, colaborando no barco do apoio, o experiente canoísta Celso Filetti, campeão da Volta em várias edições pela mesma equipe TriboQPira. “A presença dele no barco de apoio terá um grande peso na motivação do nosso time. Filetti é a referência de todos nós e estamos certos que ele decidirá com acerto nos momentos mais críticos”, elogia.

Rogério resume bem o espírito da equipe para todo o desafio que enfrentarão neste sábado. “Superação, pois o corpo tende a aliviar, mas a cabeça deve sempre comandar e ter em vista o objetivo final. Essa luta “corpo x mente” é algo sensacional que todo atleta de provas de resistência adora”, completa.

A 16ª Volta à Ilha de Santo Amaro de Canoa Havaiana terá largadas às 8 horas, na Praia da Aparecida, em Santos, com um recorde de inscritos, reunindo 38 canoas no mar. A expectativa é que a equipe campeã complete a prova em torno de seis horas. Nesta sexta-feira, às 18h30, será realizado o briefing do evento, no Sheraton Santos Hotel, à Rua Guaiaó, 70.

A 16ª Volta à Ilha de Santo Amaro de Canoa Havaiana tem os patrocínios de DP World Santos, através do Promifae/Semes, e Caiaques Opium Hightec. Apoios: Panificadora Rainha da Barra, TV Tribuna, Parque Estadual Marinho, Sabesp, Baraçaí, Prefeitura Municipal de Santos, Sheraton Santos Hotel e FMA Notícias. Organização da Canoa Brasil, com supervisão da Abracha – Associação Brasileira de Canoa Havaiana.

 

Ecovias

ecovias