Crea-SP promove força-tarefa para identificar irregularidades

Fiscalizações acontecem até sexta-feira, dia 26, noLitoral e Vale do Ribeira, tendo os resultados divulgados em junho durante reunião em Praia Grande

Com a intenção de impedir atividades irregulares, ressaltar o valor da categoria e evitar acidentes aos profissionais e a população é que o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-SP) realiza fiscalizações em diversas áreas até sexta-feira, dia 26.

As vistorias começaram na segunda-feira, dia 22, em Peruíbe e Cajamar, fazendo parte da quinta etapa das ações no primeiro semestre. As fiscalizações são realizadas por 20 duplas de agentes fiscais que visitarão simultaneamente cidades do Litoral, Vale do Ribeira e de parte da Grande São Paulo.

Entre os setores avaliados estão áreas de mineração, águas subterrâneas, barragens de contenção e hidrelétricas, indústrias de todos os segmentos (principalmente as vinculadas aos setores de petróleo, alimento, química, farmacêutica, borracha, cerâmica, bebida e agroindústria) e obras como pontes, passarelas, túneis e viadutos, além de estabelecimentos hospitalares.

As empresas que apresentarem alguma irregularidade serão notificadas e terão um prazo de dez dias úteis para tomar as providências e justificar a falha, sendo possível prorrogar o prazo estipulado. Caso a empresa ignore a notificação, o Crea-SP emitirá outro aviso e se nada for resolvido, e nenhuma explicação for apresentada, a empresa poderá ser multada.

De acordo com o presidente do Crea-SP, Vinicius Marchese Marinelli, os trabalhos estão sendo cada vez mais ampliados. “Nos últimos dois anos, já vínhamos fiscalizando algumas dessas atividades, como as dos estabelecimentos de saúde e seus equipamentos médico-hospitalares, além de outras que pudessem prejudicar o meio ambiente como usinas de açúcar e álcool, poços artesianos, aterros sanitários, empreendimentos da área agronômica, entre outros. O que estamos fazendo é a continuidade de um planejamento.”

O gerente regional da 4ª Região do Crea-SP, Arthur Ferreira destaca alguns dos itens avaliados pela região. “São verificados em grande parte os setores de construção civil. Em Peruíbe há registro de empresas que atuam na agronomia, Guarujá tem depósitos de grãos que precisam de engenheiros agrônomos para seres responsáveis, em Praia Grande verificaremos os shoppings já que houve queda de cobertura recentemente, Cubatão o foco será no hospital recém aberto, entre outros.”

Ferreira comenta também que verificam se os profissionais realmente estão capacitados para a atividade que atuam. “Um exemplo é de alguma empresa que faça estacas pré montadas e não tem um engenheiro civil como profissional, ou tem, mas não tem a atribuição, é civil mas a atividade precisaria um engenheiro elétrico”, argumenta.

BALANÇO FINAL - Os resultados serão apresentados durante reunião do Colégio Regional de Inspetores que será realizada em Praia Grande, em 14 e 15 de junho.

De forma simultânea haverá também a quinta etapa do Congresso Regional de Profissionais (CRP), que dá oportunidade aos participantes de apresentarem propostas de acordo com os eixos temáticos para alterações na legislação do Crea-SP. As sugestões mais votadas serão encaminhadas ao Congresso Estadual de Profissionais (CEP) e logo em seguida para o Congresso Nacional de Profissionais (CNP). Os eventos são promovidos a cada três anos pelo Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea). Segundo Ferreira o local do evento será definido em breve.

25/04/2019

Foto: Divulgação/Crea-SP

 

Ecovias

ecovias