Comusa aprova verba para melhorias no Irmã Dulce

Repasse é de R$ 8,5 milhões refere-se a primeira parte de repasse de R$ 14 milhões divulgado em março

Para levar melhorias e reformas ao Complexo Hospitalar Irmã Dulce, foi aprovado o repasse de cerca de R$ 8,5 milhões ao equipamento público. A autorização foi concedida pelo Conselho Municipal de Saúde (Comusa), por meio de duas resoluções aprovadas em reunião realizada na quarta-feira, dia 24, na Casa dos Conselhos.

Os recursos são de emenda parlamentar de R$ 5.915.670,02 (Prefeitura não informou quem fez a destinação) e o restante é oriundo de verba municipal.

Esta é apenas a primeira parte do dinheiro que foi destinado ao hospital. Em 13 de março o Executivo havia divulgado o investimento de R$ 30 milhões na Saúde Pública, que deste total R$ 14 milhões seriam reservados à manutenção e a compra de produtos ao Irmã Dulce. Espera-se que na próxima reunião do Comusa, que será em 29 de maio, seja pautada a aprovação da segunda parte do repasse (cerca de R$ 5,5 milhões).

De acordo com a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), entidade que gere o Hospital desde janeiro, o dinheiro será destinado às áreas de infraestrutura, equipamentos mobiliários e de tecnologia do hospital, que inclui aparelhos de ar-condicionado, equipamentos cirúrgicos, de raio X e ampliação do número de leitos.

A gestora disse que já encontra-se em andamento o processo de aquisição de diversos itens e o prazo para tais reparos e a instalação de aparelhos é variável, pois depende de questões como fabricação, entrega e instalação dos mesmos.

De acordo com o subsecretário de Planejamento em Saúde, Rodrigo França, o documento prevê também investimentos nos setores de Especialidades Médicas e Atendimento Hospitalar. “A aprovação dos investimentos com a participação social foi uma etapa fundamental para continuidade da implantação desses equipamentos dentro do Complexo Hospitalar. O valor é um esforço da Administração Municipal em captar recursos financeiros do governo federal”, comentou.

O Executivo disse que depois dessa aprovação do Conselho, haverá o parecer de instâncias de monitoramento e controle; e após isso, o valor será submetido as cautelas legais de assinatura, registro e publicidade, com expectativa de ser repassado em maio. Não houve a divulgação de uma data exata para a instalação dos equipamentos, mas informaram que os itens serão colocados assim que os processos de aquisição, em obediências à legislação vigente, forem finalizados.

A instalação será coordenada pela SPDM, sem prejuízo do monitoramento do Executivo e demais instâncias de controle internas e externas.


CAUSAS –
Os valores foram repassados após a Administração Municipal receber reclamações de moradores quanto à falta de funcionamento dos equipamentos de climatização em fevereiro. Os aparelhos geraram problemas na refrigeração do Centro Cirúrgico e da UTI Pediátrica, com temperaturas que chegaram a 30ºC. O fato levou à suspensão das cirurgias eletivas na unidade e de novas internações na UTI Pediátrica, sendo liberadas em 21 de março pela Vigilância Sanitária do Município, após a manutenção dos aparelhos de ar condicionado ser feita.

A SPDM não informou como está a situação atualmente ou se foi preciso suspender atendimentos desde a liberação da Vigilância Sanitária. A instituição disse que a empresa responsável pela manutenção segue trabalhando nos demais reparos, porém, conforme relatado pela direção da unidade ao Executivo, tais equipamentos possuem sérios problemas de conservação e demandam um maior tempo para realização do conserto geral.

29/04/2019

Foto: Arquivo

 

Ecovias

ecovias